segunda-feira, 27 de outubro de 2014

ACADEMIA SÃOJOANENSE DE LETRAS EM 1970-1971


Por Francisco José dos Santos Braga


I.  INTRODUÇÃO 


O texto intitulado "Academia Sãojoanense de Letras" que se lerá neste post pertence à prestação de contas que o saudoso prefeito Dr. Milton de Resende Viegas fez do seu mandato de quatro anos (quatriênio de 31/01/1967 a 31/01/1971), à frente do Executivo municipal, em janeiro de 1971, através do órgão da Prefeitura Municipal intitulado "A COMUNIDADE", edição nº 30. Portanto, a fim de me reportar aos primórdios da Academia, vou transcrever aqui duas matérias que foram publicadas por esse periódico de curta existência (apenas 30 edições).

Um mês antes, mais exatamente em 8 de dezembro de 1970, Dr. Milton Viegas criara a "Academia Sanjoanense de Letras", verbis:

"ACADEMIA SANJOANENSE DE LETRAS"

DECRETO Nº 620, de 8 de dezembro de 1970

Cria a Academia Sanjoanense de Letras

O Prefeito Municipal de São João del-Rei, usando de suas atribuições legais e

Considerando que São João del-Rei é uma cidade essencialmente intelectual, berço de inúmeros escritores, poetas, músicos e historiadores, que cultivam com acendrado amor as letras e as artes;

Considerando que outras cidades idênticas à nossa já possuem a sua Academia de Letras, numa homenagem àqueles que muito fizeram no terreno da intelectualidade;

Considerando que no século em que vivemos maior predomínio devemos dar àqueles que laboram na esfera das letras e artes, torna-se imprescindível que São João del-Rei também possua a sua Academia Sanjoanense de Letras, com o fim de cultuar as figuras exponenciais do passado, como: Bárbara Eliodora, Alvarenga Peixoto, Modesto de Paiva, Gastão da Cunha, Severiano de Resende, Bento Ernesto Júnior, Franklin Magalhães, Basílio de Magalhães, Adenor Simões Coelho – e no presente, inúmeros cidadãos ilustres que têm inegàvelmente elevado o nome de nossa cidade no cenário intelectual da vida brasileira,

DECRETA:
Art. 1º – Fica criada em São João del-Rei a Academia Sanjoanense de Letras.

Art. 2º – A Academia criada no artigo 1º se constituirá de 30 (trinta) cadeiras de Patronos ilustres, que nasceram ou residiram nesta cidade.

Art. 3º – Fica o Prefeito Municipal autorizado a nomear, dentro de 8 (oito) dias, uma comissão encarregada de elaborar os estatutos e tomar as demais providências concernentes à aludida academia.

Art. 4º – Êste Decreto entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Mando, portanto, a tôdas as autoridades a quem o conhecimento e execução dêste Decreto pertencer, que o cumpram e façam cumprir tão inteiramente como nêle se contém.
Prefeitura Municipal de São João del-Rei, 8 de dezembro de 1970
  
Milton de Resende Viegas
Prefeito Municipal

Lauro Novaes
Chefe de Gabinete

Fonte: A COMUNIDADE, São João del-Rei, Ano IV, janeiro de 1971, nº 30, p. 3. 

A instalação desse sodalício se deu em 21 de janeiro de 1971. Foi reconhecido como instituição de utilidade pública municipal através da Lei nº 1.683, de 25 de junho de 1979, bem como instituição de utilidade pública estadual através da Lei nº 7.611, de 11 de dezembro de 1979.

Vamos então ao texto a que me referi, observando que será respeitada a grafia da época.


II.  "ACADEMIA SÃOJOANENSE DE LETRAS" ¹

O Executivo Municipal não teve a sua atenção, única e exclusivamente, voltada para ângulo material, e nem poderia deixar de ser, tendo em vista que a nossa comuna tem raízes profundas na cultura do seu povo, no passado e no presente.

As letras, as artes, nos seus mais variados ramos, receberam desta Administração o testemunho do seu carinho, procurando, assim, o que constitui um dever de todos nós, perpetuar no tempo e na memória dos são-joanenses, nas nossas mais caras e legítimas conquistas, no que tange a nossa cultura intelectual.

E foi com êsse pensamento e com êsse bom propósito que, por Decreto Nº 621, de 8 de dezembro do ano próximo passado, justamente no aniversário de nossa elevação à categoria de Vila, deliberamos fundar neste cidade a ACADEMIA SÃOJOANENSE DE LETRAS, com os patronos e seus acadêmicos.

Não quer dizer com isso, tendo em vista a indicação dos atuais PATRONOS e ACADÊMICOS, que outros nomes ilustres não sejam consignados no âmbito da Academia, razão porque, pela PORTARIA Nº 757, de 30 de dezembro do ano expirante, êste Executivo cria a Comissão encarregada de rever o assunto, ampliando-se os QUADROS DA ACADEMIA com a representação de outras personalidades da nossa cultura intelectual, já como PATRONOS, já como membros do Sodalício ora criado. À referida Comissão cabe, outrossim, apresentar sugestões e planos conclusivos para uma perfeita organização da nova Entidade Cultural que, ao lado de nosso Instituto Histórico e Geográfico, terá a missão elevada e nobre de preservar a nossa cultura, herança do passado desta gloriosa cidade, cognominada a ATENAS MINEIRA, daí a preocupação do Executivo criando a nossa ACADEMIA.

A referida Comissão está assim designada: Professor José Américo da Costa, poeta, tribuno Mozart Novaes, Tenente Gentil Palhares, Professor Fábio Nelson Guimarães, Dr. Altivo de Lemos Sette, Cônego Sebastião Paiva e Luiz de Melo Alvarenga.

O parecer da Comissão em aprêço será apresentado até o dia 10 do corrente.

São João del-Rei, nesga de terra engastada neste Brasil imenso e glorioso, retalhado pelos Estados que constituem a sua configuração geométrica, não poderia deixar de ter a sua ACADEMIA DE LETRAS, a exemplo de cidades outras que, pôsto não sejam aquinhoadas de tantos e tamanhos vultos que se notabilizaram nas ciências e nas artes mineiras, possuem, hoje, as suas Academias. E temos, para exemplo, as cidades de Divinópolis, Uberaba, Formiga, entre outras com suas representações acadêmicas.

Aqui nestas plagas sempre queridas, nasceram ou viveram vultos insignes, personalidades que, pelo brilho da inteligência e da cultura, não podem e não devem ficar olvidadas, porque teceram êles a teia das nossas mais caras e indeléveis tradições, para que, hoje, desfrutássemos do título de São João del-Rei, a Atenas Brasileira.

Êste Executivo, por isso, ao passar os seus encargos ao seu substituto ora eleito, o faz de consciência tranquila, serena, porque não procurou, apenas, "plantar" no chão o paralelepípedo de nossas ruas, senão que também semear no seio dos hodiernos e sobretudo da nossa juventude esperançosa, a semente que espera seja lançada em terreno fértil e abençoado, para as flôres e os frutos do porvir: a ACADEMIA SÃOJOANENSE DE LETRAS.

Os QUADROS DE PATRONOS E ACADÊMICOS, que serão apreciados pela Comissão ora nomeada, estão assim constituídos:

PATRONOS  ²

1 – Severiano Nunes Cardoso de Rezende – Professor, jornalista, orador e poeta.
2 – Modesto de Paiva – Jornalista e poeta.
3 – José Antônio Rodrigues – Jornalista, escritor.
4 – Franklin de Almeida Magalhães – Jornalista, professor, poeta.
5 – José Álvares de Oliveira – Escritor.
6 – Inácio José de Alvarenga Peixoto – Poeta, escritor e magistrado.
7 – Antônio Rodrigues de Melo – Latinista, professor e teatrólogo.
8 – Aureliano Corrêa Pereira Pimentel – Latinista, professor, escritor e beletrista.
9 – Basílio de Magalhães – Escritor, jornalista e professor.
10 – Alexina Magalhães Pinto – Professôra, folclorista.
11 – Bárbara Eliodora Guilhermina da Silveira – Poetisa.
12 – Bento Ernesto Júnior – Poeta, professor.
13 – Dr. Antônio Ribeiro da Silva - Jornalista, cronista e poeta.
14 – Dr. Gastão da Cunha – Professor, jurisconsulto, escritor, orador, diplomata.
15 – Desembargador Lourenço José Ribeiro – Professor, jurisconsulto, orador e fundador e 1º Diretor da Escola de Direito do Recife.
16 – Maria Eugênia Celso – Escritora.
17 – Cônego Antônio José Machado – Professor, orador e escritor.
18 – Monsenhor Antônio Caetano de Almeida Vilas Boas – Poeta, escritor, vigário de S. João.
19 – Dr. Domiciano Leite Ribeiro, Visconde de Araxá – Escritor, jornalista e orador.
20 – Inácio da Silva Alvarenga – Poeta.
21 – Sebastião Rodrigues de Sette Câmara – Jornalista, professor.
22 – Pe. José Antônio Marinho – Escritor, professor.
23 – Batista Caetano de Almeida – Jornalista, fundador da Biblioteca Municipal.
24 – Dr. Francisco I. Carvalho Resende – Orador, escritor.
25 – Pe. João Batista do Sacramento – Professor, orador.
26 – Domingos Horta – Professor, escritor e jornalista.
27 – Lincoln de Souza – Poeta, jornalista e escritor.
28 – Farm. Antônio Augusto Campos da Cunha – Professor, escritor, jornalista.
29 – Pe. José Severiano de Rezende – Poeta, escritor e jornalista.
30 – Iago Pimentel – Médico e psicólogo.
31 – Herculano Veloso – Jornalista e escritor.
32 – Hildebrando de Magalhães – Poeta.
33 – João Vasques de Miranda Júnior – Poeta e professor.
34 – Asterack Germano de Lima – Poeta e jornalista.
35 – Adenor Simões Coelho – Poeta e jornalista.
36 – Dr. Odilon Barros Martins de Andrade – Advogado e escritor.   

ACADÊMICOS  ³               

1 – Dr. Augusto das Chagas Viegas – escritor, homem de letras e orador.
2 – Prof. José Américo da Costa – poeta e professor.
3 – Mozart Novaes – jornalista e escritor.
4 – Dr. Elpídio Antônio Ramalho – professor e orador.
5 – Tte. Gentil Palhares – escritor e jornalista.
6 – Gal. Carlos de Oliveira Ribeiro Campos – escritor e orador.
7 – Farm. Sebastião Alves do Banho – poeta e jornalista.
8 – Prof. Fábio Nelson Guimarães – professor, historiador e escritor.
9 – Dr. Altivo de Lemos Sette Câmara – poeta e jornalista.
10 – Prof. Sebastião de Oliveira Cintra – escritor e jornalista.
11 – Dr. Luis Dângelo Pugliese – teatrólogo.
12 – Dr. Adenor Simões Coelho Filho – jornalista.
13 – Dr. Tancredo de Almeida Neves – orador e jornalista.
14 – Prof. Esaú de Assis Republicano – jornalista e professor.
15 – Monsenhor José Maria Fernandez – escritor e jornalista.
16 – Cônego Sebastião Paiva – escritor.
17 – Dr. Aderbal Malta – agrônomo, poeta e escritor.
18 – Antônio Elias Cecílio – professor e jornalista.
19 – Luiz de Melo Alvarenga – historiador.
20 – Antônio Guerra – escritor.
21 – Dr. Álvaro Viana Filho – jornalista e escritor. 

SÃO-JOANENSES MORADORES FORA DA CIDADE

– Dom Antônio de Almeida Lustosa – escritor e professor (Recife).
– Dom Lucas Moreira Neves – escritor (S. Paulo).
– Dr. Cândido Martins de Oliveira – escritor e poeta.
– Dr. Otto Lara Resende – escritor e jornalista (Lisboa).
– Gilberto Mansur – teatrólogo e jornalista (S. Paulo).
– Monsenhor Almir de Resende Aquino – escritor e orador (Carmópolis).
– Dr. José Dângelo – teatrólogo e professor (Belo Horizonte).
– Prof. José Terra – poeta e escritor (Barroso).
– Dr. Belisário Leite de Andrade Neto – advogado, escritor e orador (Guanabara).
– Oranice Franco – escritor e jornalista (Guanabara).
– Cristóvão Teixeira – jornalista e escritor (Guanabara).
– Antônio de Lara Resende – professor e escritor (Belo Horizonte).
– Antônio Ribeiro de Avelar – professor e escritor (Belo Horizonte).
– Venâncio Castanheira Filho – poeta (Bonsucesso-MG)
– Dr. Luiz Martins de Andrade – advogado e escritor.
– Gil Pereira Coelho – jornalista e escritor (Guanabara).
– Antônio Pereira Coelho Filho – escritor.
– Antônio Rocha – professor e jornalista (Belo Horizonte).
– Benoni Guimarães – professor. 

Outros nomes lembrados e dignos de ser revividos: Custódio Batista de Castro, Tancredo Braga, Fausto Gonzaga, Manuel Jacinto Nogueira da Gama, Dr. Garcia de Lima, Dr. José Vitor Barbosa, Francisco Pinheiro e João Viegas.

Fonte: A COMUNIDADE, São João del-Rei, Ano IV, janeiro de 1971, nº 30, p. 18.
               

III.  COMENTÁRIOS E NOTAS EXPLICATIVAS 


¹  Possivelmente o autor desse texto tenha sido o próprio Prefeito Dr. Milton Viegas, porque por diversas vezes se referiu a si mesmo como Executivo Municipal.

²  É possível que a Comissão criada pela PORTARIA Nº 757, de 30 de dezembro de 1970, encarregada de rever o assunto, decidiu ampliar ou modificar os QUADROS DA ACADEMIA no que se refere aos patronos. [PALHARES, 1974, 153-155] menciona outras personalidades como PATRONOS da Academia nos anos de 1977 e 1978 durante mandato do 4º presidente Cônego Henrique Neves Júnior: "Dr. Augusto das Chagas Viegas, Asterack Germano de Lima, Aureliano Pereira Corrêa Pimentel, Herculano Veloso, Severiano Cardoso Nunes de Resende, Antônio Augusto Ribeiro Campos e Olívia Ribeiro Campos, Basílio de Magalhães, Cônego José da Costa Machado, Bárbara Eliodora, Sebastião Sette, Modesto de Paiva, Adenor Simões Coelho, Antônio Rodrigues de Melo, Franklin Magalhães, Maria Eugênia Celso, Alexina de Magalhães Pinto, Dr. Euclides Garcia de Lima, Custódio Batista de Castro, Sebastião Alves do Banho, Inácio José de Alvarenga Peixoto, Professor Domingos Horta, Dr. Cristóvão de Abreu Braga, jornalista Lincoln de Souza, Gilberto de Alencar, Inácio da Silva Alvarenga, Dr. Antônio de Andrade Reis." (Cf. http://saojoaodel-rei.blogspot.com.br/2014/05/os-imortais-sao-joanenses-por-gentil.html neste mesmo Blog de São João del-Rei)

³  O que foi dito para os Patronos vale também para os Acadêmicos. É possível que a Comissão criada pela PORTARIA Nº 757, de 30 de dezembro de 1970, encarregada de rever o assunto, decidiu ampliar ou modificar os QUADROS DA ACADEMIA no que se refere aos ACADÊMICOS. É possível afirmar isso porque [CINTRA, 1982, 41], na efeméride do dia 21 de janeiro de 1971, registra as seguintes informações: "Instalação da Academia de Letras de S. João del-Rei, cuja 1ª Diretoria teve a constituição seguinte: Pres. – José Américo da Costa; Vice-Pres. – Elpídio Antônio Ramalho. Secretários – Gentil Palhares e Antônio Elias Cecílio; tesoureiros – Adherbal Malta e Sebastião de Oliveira Cintra; bibliotecário – Beatriz Alves Horta Barbosa. Orador Oficial – Mozart Novaes e Pres. de Honra – Augusto das Chagas Viegas. Sócios fundadores da Academia, que foi criada pelo Decreto nº 620, de 8-12-1970, do Prefeito Municipal Milton de Resende Viegas: Augusto das Chagas Viegas, José Américo da Costa, Elpídio Antônio Ramalho, Gentil Palhares, Carlos de Oliveira Ribeiro Campos, Sebastião Alves do Banho, Fábio Nelson Guimarães, Sebastião de Oliveira Cintra, Adenor Simões Coelho Filho, Tancredo de Almeida Neves, Esaú de Assis Republicano, Beatriz Alves Horta Barbosa, Adherbal Malta, Antônio Elias Cecílio, Luiz de Melo Alvarenga, Antônio Guerra, Álvaro Viana Filho e José das Chagas Viegas."



IV.  REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS



A COMUNIDADE: São João del-Rei, Ano IV, janeiro de 1971, nº 30, 20 p.

CINTRA, Sebastião de Oliveira: Efemérides de São João del-Rei, Belo Horizonte: Imprensa Oficial de Minas Gerais, 622 p.

PALHARES, Gentil: São João del-Rei na Crônica, Juiz de Fora: Esdeva Gráfica S.A., 1974, 180 p.



V.  AGRADECIMENTO


Registro aqui meu agradecimento sincero à Sra. Maria Auxiliadora Ferreira pela cessão d' A COMUNIDADE, edição nº 30, de seu arquivo particular, para fins desta pesquisa.






* Francisco José dos Santos Braga, cidadão são-joanense, tem Bacharelado em Letras (Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras, atual UFSJ) e Composição Musical (UnB), bem como Mestrado em Administração (EAESP-FGV). Além de escrever artigos para revistas e jornais, é autor de dois livros e traduziu vários livros na área de Administração Financeira. Participa ativamente de instituições no País e no exterior, como Membro, cabendo destacar as seguintes: Académie Internationale de Lutèce (Paris), Familia Sancti Hieronymi (Clearwater, Flórida), SBME-Sociedade Brasileira de Música Eletroacústica (2º Tesoureiro), CBG-Colégio Brasileiro de Genealogia (Rio de Janeiro), Academia de Letras e Instituto Histórico e Geográfico de São João del-Rei-MG, Instituto Histórico e Geográfico de Campanha-MG, Academia Valenciana de Letras e Instituto Cultural Visconde do Rio Preto de Valença-RJ, Academia Divinopolitana de Letras, Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal, Academia Taguatinguense de Letras, Academia Barbacenense de Letras e Academia Formiguense de Letras. Possui o Blog do Braga (www.bragamusician.blogspot.com), um locus de abordagem de temas musicais, literários, literomusicais, históricos e genealógicos, dedicado, entre outras coisas, ao resgate da memória e à defesa do nosso patrimônio histórico.Mais...